201810.18
0

Advogado em Uberlândia para Inventário

O que você precisa saber sobre inventário.

Saiba por que o melhor caminho é contar com o escritório Flávio Santos Advocacia em Uberlândia! Advogado em Uberlândia para inventário

Contrate um Advogado em Uberlândia para inventário.

Muitas pessoas possuem dúvidas quanto ao entendimento do que é de fato o inventário e sua grande importância no âmbito da lei. Mas, isso é absolutamente compreensível, principalmente quando se trata de um momento de dor em decorrência do falecimento de um parente! Nessa situação, muitas famílias acabam tendo de lidar com uma árdua batalha judicial.

Isso se dá basicamente por conta da possibilidade do parente poder dispor dos bens que foram deixados pela pessoa que veio à falecer – também denominado por “de cujus”.

Na verdade, para ser possível que haja a divisão dos bens, é preciso ainda considerar um processo anterior. Ou seja, é necessário que seja feita uma descrição absolutamente detalhada de todo o patrimônio deixado. Nesse processo ainda deve constar também todas as dívidas que eventualmente foram contraídas pela pessoa – caso elas existam.

O inventário pode ser realizado em um cartório extrajudicialmente. Mas em alguns casos é preciso que o processo seja realizado por meio de uma ação judicial.

Quer se inteirar melhor sobre esse assunto e até mesmo descobrir porque contar com um advogado em Uberlândia especializado que poderá lhe encaminhar na melhor decisão a ser tomada? Então leia mais detalhes a seguir agora mesmo!

Está precisando fazer um inventário? Então considere o escritório Advogado Uberlândia – Flávio Santos Advocacia!

Quem está tendo de lidar com o processo de um inventário precisa ter em mente uma dica bastante pertinente – Fale Com o Advogado! Na verdade essa é a melhor dica que você poderia receber!

Isso porque, além de ser preciso lidar com a dor de uma perda na família, em grande parte dos casos, o falecimento de um parente pode também acarretar outros desafios – o inventário é um deles!

O fato é que se há patrimônios, bem como dívidas e bens materiais, o processo deverá ser feito. E, nesse caso, é fundamental que se mantenha uma grande atenção quanto aos prazos exigidos!

Porque se o inventário não for aberto no prazo máximo de até 60 dias a contar da data do falecimento, os herdeiros em questão poderão ter de arcar com o pagamento de multas.

Entendendo melhor o que é o inventário!

Quando uma determinada pessoa acaba falecendo, todo o patrimônio que ela constituiu em vida passa a ser legalmente uma única coisa. Ou seja, surge a figura do espólio, que poderá ser transmitido de forma imediata para os sucessores.

Nesse caso, o inventário acaba sendo necessário para que se possa realizar a quitação de dívidas que tenham sido contraídas pelo falecido. Além de poderem atribuir a formalização da partilha e transferência da herança para todos os beneficiários.

Tal processo pode ser feito de maneira judicial ou extrajudicial. Sendo, portanto, realizado em cartório, quando não há testamento, herdeiros com idade inferior a 18 anos ou incapazes. E ainda acordo estabelecidos entre todos os envolvidos no processo.

Independente de qual seja a modalidade em questão relacionada ao inventário, é sempre importante contar com a presença e também uma assessoria jurídica de um bom advogado!

O escritório Flávio Santos Advocacia poderá ser um grande aliado durante todo o processo. Garantindo que os prazos sejam respeitados e que todos os critérios e necessidades sejam amplamente mantidos!

Mais detalhes sobre o inventário judicial!

O inventário judicial refere-se à modalidade mais conhecida. Nela, o poder judiciário é acionado por intermédio de um advogado possibilitando o ingresso com o processo e descrição de todos os bens e direitos referentes à pessoa falecida.

Isso é feito de forma a distribui-los de maneira equitativa entre todos os herdeiros legais.

Esse inventário ainda pode ser amigável ou litigioso. Ou seja, quando as partes envolvidas discordam de algo que esteja sendo indicado na partilha ou até mesmo em decorrência de algum herdeiro.

Diante disso, todo o processo poderá ser acompanhado sob olhar atento de um juiz da Vara de Família e Sucessões. Ou em alguns casos, da Vara Cível (em comarcas que não possuem varas de família).

No final de todo o processo, o juiz homologará a partilha. Surgindo um documento formal de partilha de bens, destinado à transferência dos bens em questão a quem possuir o direito.

Vale salientar que para a realização do inventário judicial há necessidade de uma considerável quantidade de documentos. E, ainda, necessário dizer que o processo é burocrático. Por isso, é importante considerar uma dica extremamente valiosa – advogado em Uberlândia ou região, o escritório Flávio Santos Advocacia está pronto para lhe atender sempre da forma mais especial possível. Acesse a opção do menu acima ou clique Fale Com o Advogado.

Inventário extrajudicial – maiores detalhes!

Essa modalidade é menos difundida de uma maneira geral e é adotada sempre observando os requisitos já apresentados acima. A forma extrajudicial poderá acelerar a partilha de bens, reduzindo a burocracia.

Sua adoção ajuda a descongestionar o poder judiciário. Isso porque, indiscutivelmente, há uma grande quantidade de inventários tramitando nas varas de família.

Para poder se inteirar mais sobre esse aspecto, vale a pena nos consultar, Advogado Uberlândia – Flávio Santos Advocacia. Advocacia séria e confiável!